sábado, 26 de maio de 2018

Requeijão de Kefir




2 litros de leite
0,5 litro de iogurte de Kefir (ensino aqui!)
sal
pimenta
ervas aromáticas 


Leve o leite a ferver e, logo que levante fervura, baixe um pouco o lume e misture o iogurte de Kefir. Misture bem e aumente o lume, mexendo sempre o preparado do leite com o iogurte. Logo, logo vai começar a ficar como mostra a foto acima. Apague o lume e deixe arrefecer. Coloque um pano por cima de um coador e deite a mistura. Deixe ir coando, até ficar como na foto abaixo. 


Tempere a gosto com sal e pimenta, ervas aromáticas (coentros, orégão...) e mexa com uma colher de pau.
Esprema bem para ficar o mais sequinho possível.



Coloque numa taça, ainda com o pano, com o fundo forrado com papel de cozinha, para absorver algum líquido que tenha ficado. Dobre o pano sobre o requeijão e carregue bem para alisar e ganhar a forma da taça. Leve ao frigorífico durante 12 horas.
Desenforme e pronto, fica como está apresentado abaixo.



Pode servir simples ou com doce.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

O Kefir



Foi uma amiga minha que me doou o Kefir (Obrigada, Rosa!). Ao princípio não morri de amores pelo iogurte de Kefir, estranhei, mas, agora, sou fã. É o meu pequeno almoço de eleição. E até já me aventurei na confecção de requeijão e de outros acepipes de que vos darei conta brevemente. 
É um probiótico, ou seja, uma colónia de micro-organismos benéficos para a saúde. Entre os seus principais benefícios destaca-se o facto de facilitarem a digestão e a absorção de nutrientes.
É composto por partículas brancas e gelatinosas, chamadas  grãos de Kefir, que contêm bactérias, leveduras, proteínas e açúcares complexos (ou polissacarídeos).
Visualmente, os grãos assemelham-se a uma couve-flor, podendo ter o tamanho equivalente a uma ervilha ou uma noz.
Maiores ou mais pequenos, estes grãos de kefir fermentam em leite animal (como o leite de vaca consumido pela grande maioria das pessoas) ou vegetal (como leite de coco, soja ou arroz, por exemplo), mas também há kefir de água.
Rico em proteínas, vitaminas e minerais, tem propriedades antifúngicas e antibióticas, podendo ser uma ajuda na prevenção de vários problemas de saúde. São muitos os seus benefícios tais como:
  • Ajuda no equilíbrio da flora intestinal e contribui para a absorção de nutrientes;
  • Facilita a digestão;
  • Diminui o colesterol; 
  • Melhora a densidade óssea e combate a osteoporose; 
  • Tem um efeito tranquilizador do sistema nervoso (sendo benéfico para quem sofre de depressão ou distúrbios do sono, por exemplo);
  • Aumenta a resistência a infecções em pessoas saudáveis;
  • Previne problemas de vesícula, fígado ou rins;
  • Pode ser usado como tratamento de problemas dermatológicos como acne, eczemas, psoríase ou alergias, por exemplo;
  • Sintetiza vitaminas do complexo B;
  • Pode ser indicado para pessoas com ligeira intolerância à lactose, visto que as suas bactérias e leveduras consomem a maior parte da lactose durante o processo de fermentação.




A sua preparação é relativamente simples, ainda que sejam necessários alguns cuidados. 
Deve colocar os grãos de kefir num recipiente de vidro e deitar leite (até encher aproximadamente ¾ do frasco) e tapá-lo com um pano, guardanapo de papel ou gaze e guardar num armário escuro, que não esteja a ser aberto a toda a hora. Depois é deixar à temperatura ambiente e aguardar cerca de 24 horas (no máximo 48 horas) para que a fermentação ocorra. Passado este período só precisa de coar o Kefir num passador de plástico ou de inox (não utilizar artigos de alumínio), colocar em recipientes de vidro (frascos, potes), levar ao frigorífico e consumir. Retirados os grãos, só precisa de os colocar num novo recipiente com leite e retomar o processo inicial. Para uma colher de sopa de Kefir, deve adicionar meio litro de leite.
O kefir poderá ser consumido simples (beber o iogurte de kefir) ou misturar com outros ingredientes, como cereais, mel, açúcar mascavado, frutas, bagas goji, doce... E pode, inclusivamente, utilizá-lo na preparação de sobremesas e bolos. A textura é semelhante à do iogurte, no entanto, o sabor é ligeiramente mais ácido.
Originário da região montanhosa do Cáucaso, presume-se que o kefir tenha começado a ser usado pelos povos desta região há cerca de quatro mil anos. 
Os grãos de kefir – a dita flor de iogurte – são também designados como Cogumelos Tibetanos, Plantas de Iogurte, Cogumelos do Iogurte, Fungo do Iogurte, Lotus de Neve, Kin-oko ou Tane-oko no Japão, ou Tibetanischer Pilz na Alemanha.

QUAL A DIFERENÇA ENTRE UM IOGURTE DE KEFIR E UM IOGURTE NORMAL?

Têm muito em comum, ambos têm um gosto ácido, são originalmente produzidos a partir de produtos lácteos e têm proteínacálcio e vitaminas. O kefir tem maior teor de proteína e cálcio, comparando com um iogurte dito tradicional e, geralmente, a sua consistência é mais líquida. Outra diferença também se prende com o facto de o iogurte de kefir conter maior diversidade de bactérias, tendo maior teor de probióticos e mais benefícios ao nível intestinal.
A temperatura em que ocorre a fermentação também os difere: o kefir fermenta à temperatura ambiente enquanto que o iogurte necessita de temperaturas elevadas.

Se alguém quiser Kefir, é só dizer. O Kefir é doado. 

  



As fotos são da Internet, mas brevemente, publicarei fotos minhas.


terça-feira, 22 de maio de 2018

Midi - Torres Vedras






Dedicado à gastronomia portuguesa, o Midi nasceu em 2009. Com um ambiente elegante, moderno e confortável, com uma decoração muito peculiar e surpreendente, oferece uma selecção cuidada de pratos de peixe e carne, sem esquecer as opções vegetarianas.
Dia de Encerramento: Segunda-feira
Horário de Funcionamento: Das 12:00 às 16:00 e das 19:00 às 00:00.
Morada: Avenida da Liberdade 2
Código Postal: 2560 271 TORRES VEDRAS
Tel: 968018088
E-mail: restaurantemidi@sapo.pt



Chegámos a este restaurante por sugestão de um amigo que, como nós, gosta de ser surpreendido. E tudo aqui é realmente surpreendente, a decoração moderna, muito contemporânea, mas despojada, sem deixar, no entanto, de lado, o seu quê de sofisticação, o ambiente acolhedor, ideal para saborear tranquilamente uma refeição, a luz que enche totalmente o espaço de uma claridade inebriante, a simpatia e profissionalismo do pessoal, a decoração e apresentação dos pratos...

Se é um bom garfo, não pode deixar de visitar o Midi, onde poderá usufruir de variados paladares gastronómicos. A cozinha portuguesa é rainha, mas surge com uma roupagem diferente,  moderna, oferecendo o gostinho tão característico dos nossos pratos tradicionais. Os vários produtos são confeccionados e apresentados de modo a respeitar a origem e sabor.

Recomendo!















domingo, 20 de maio de 2018

Restaurante Afinidades






É o nosso restaurante de eleição para comemorações familiares. Gostamos do ambiente, gostamos do serviço*****, gostamos do que nos é servido e sugerido, gostamos da simpatia com que somos sempre recebidos e, por isso, é sempre um prazer voltar.


No topo da Praça da Fruta, paredes meias com o Posto de Turismo da cidade de Caldas da Rainha, encontramos o Restaurante Afinidades,  “um restaurante despretensioso mas que aposta em ingredientes fora de série e numa confecção cuidada e sofisticada que casa o receituário tradicional português com receitas de cozinhas mais distantes”.
A sala, com uma decoração sóbria, mas bastante requintada, é muito acolhedora e confortável. O espaço é bonito e elegante, mas também com o seu quê de informal. Podemos escolher este restaurante para um almoço/jantar despretensioso, simples, com amigos ou familiares. É também o lugar certo para um jantar mais formal, sofisticado, para comemorações ou celebrações. Não esquecendo também os almoços de negócios... Há ainda uma esplanada agradabilíssima. E são estes os pontos de partida para uma experiência à mesa onde não faltam produtos de excelência como a carne Barrosã, o bacalhau  da Noruega e do Canadá (vindos da Mercearia Pena – a mercearia gourmet que é uma das lojas mais antigas das Caldas da Rainha), os melhores frescos da nossa Praça da Fruta, um ex-libris da nossa cidade, e os peixes e mariscos do Mercado do Peixe e da Lagoa de Óbidos.
A coordenação técnica ao nível das bebidas e da cozinha está a cargo dos chefes Jorge Guilherme e Luís Tarenta. 

A acompanhar a carta desenhada pelo chefe Luís Tarenta, podemos contar igualmente com uma vasta carta de vinhos e cocktails e com um serviço atento e dedicado.
Pessoal muito simpático, muito profissional, muito atento e solícito.
É, sem sombra de dúvidas, um dos melhores restaurantes da cidade. Atrevo-me mesmo a dizer - o melhor!
Recomendo vivamente e voltarei certamente em breve!
  • Telefone: 351 935 885 438
  • E-mail: restauranteafinidades@gmail.com