sábado, 23 de Outubro de 2010

Sermão de Santo António aos peixes - Exórdio




Sermão de Santo António aos Peixes

Exórdio

O orador parte do conceito predicável: "Vós sois o sal da terra", inspirando-se em S. Marcos e vai adaptando-o aos pregadores, num discurso cerrado e argumentativo, numa série de perguntas e respostas, réplicas e tréplicas; e depois de filosofar sobre as razões por que o sal não salga, havendo tantos pregadores, vai colocar uma série de hipóteses, apoiando-se sempre nas sagradas escrituras ou nas palavras sábias dos Santos ou doutores da Igreja ou no próprio Cristo.

"Se o sal perder a substância e a virtude, e o pregador faltar à doutrina e ao exemplo, o que se há-de fazer, é lançá-lo fora como inútil, para que seja pisado de todos".

António Vieira confronta o seu auditório com imensas questões, às quais ele próprio acaba por responder.

E se a terra é que não se deixa salgar, o que se deve fazer, pergunta Padre António Vieira. E continua a dissertar, a argumentar sobre esta problemática, afirmando que Cristo não resolvera este problema, resolveu-o Santo António, que se celebrava nesse dia:

"mas temos sobre ele a resolução do nosso grande português Santo António, que hoje celebramos, e a mais galharda e gloriosa resolução que nenhum santo tomou."

Num discurso argumentativo, quase silogístico, ele pergunta o que faria o bom do santo: "Retirar-se-ia? Dissimularia? Daria tempo ao tempo?" Apenas mudou "o púlpito e o auditório (...) Deixa as praças, vai-se às praias; deixa a terra, vai-se ao mar, e começa a dizer a altas vozes: Já que me não querem ouvir os homens, ouçam-me os peixes."
Foi uma maravilha, um milagre, Vieira, estupefacto, evoca os poderes do Altíssimo, numa apóstrofe tecida de espanto, quase num tom épico:

"Oh maravilhas do Altíssimo! Oh poderes de quem criou o mar e a terra!". Logo aconteceu o inexplicável, o milagre:

"Começam a ferver as ondas, começam a concorrer os peixes grandes, os maiores, os pequenos, e postos todos por sua ordem com as cabeças de fora da água, António pregava e eles ouviam."
Atenção à repetição do verbo "começar, conjugado no presente do indicativo, na forma perifrástica, expressando bem o andamento da acção, num visualismo surpreendente.

À imitação do Santo, Vieira irá deixar a terra e voltar-se-á para o mar, que está bem perto, irá assim pregar aos peixes, à imitação de Santo António":

"quero hoje, à imitação de Santo António, voltar-me da terra ao mar, e já que os homens se não aproveitam, pregar aos peixes."


Invocação

O exórdio termina geralmente com uma invocação a Maria: "Maria, quer dizer, Domina maris: "Senhora do mar"; e posto que o assunto seja tão desusado, espero que me não falte com a costumada graça. Avé Maria."


Síntese do exórdio
  • Apresentação do tema que vai ser desenvolvido no Sermão de Santo António aos Peixes: Vos estis sal terrae.
  • Exploração do tema: tentativa de perceber o motivo pelo qual a terra se vê tão corrupta.
  • Constatação do problema detectado: a terra está dominada pela corrupção.
  • A solução do problema do sal que não salga é encontrada em Cristo.
  • A solução do problema da terra que não se deixa salgar é encontrada num episódio da vida de Santo António.
  • O orador decide, à imitação de Santo António, voltar-se da terra ao mar e pregar aos peixes.
  • O orador pede a Maria a costumada graça para expor o assunto do sermão.


Trabalhimhos:


A Mena na cozinha

Sopinha da avó

800 g de feijão
3 batatas
2 cenouras
1 curgete
1 cebola
1 dente de alho
sal
couve
azeite (ou carne de vaca ou de porco)

Ponha o feijão de molho, de véspera.
Coza o feijão com o alho e a cebola. Prepare as batatas, as cenouras e a curgete, cortando aos cubinhos. Quando o feijão estiver cozido, tire duas conchas de feijão cozido e reserve. Reduza a puré o feijão restante, a cebola e o alho.
Arranje a couve, cortando-a em pedaços, e junte ao puré do feijão. Adicione também as batatas, as cenouras e a curgete. Deixe cozinhar, mexendo de vez em quando. Finalmente junte o feijão cozido que reservara.
Tempere com sal e azeite. Se preferir temperar a sopa com carne, ponha um naco de carne de vaca ou de porco a cozer juntamente com o feijão.
Bom apetite!

1 comentário:

artes_romao disse...

boa tarde,td bem?
está tudo um encanto,parabéns.
adorei a sopinha...hummm.
fica bem,jinhos***