sábado, 29 de setembro de 2012

Acorda, Portugal, é hora!




Vamos para a rua gritar até que a voz nos doa!






Acorda
O teu ombro já não espera
E traduz essa palavra
Que me olha

E é assim que o povo resiste
É lutando que a vida insiste

Sono sem sonho
Medo sem coragem
Somos barco á vela
Livres na viagem

E é assim que o povo resiste
É lutando que a vida insiste
E é gritando sobre o asfalto
Que a nossa voz fala mais alto

E é assim que o povo resiste
É lutando que a vida insiste
E é gritando sobre o asfalto
Que a nossa voz fala mais alto

Acorda
O teu ombro já não espera
E traduz essa palavra
Que me olha

5 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Este país está acordar. Parece-me...
Brilhante. Fizeste um excelente poema.
Gostei muito, do princípio ao fim.
Mena, querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijo.

Mena disse...

Este poema não foi escrito por mim, Nilson!

Nilson Barcelli disse...

Então quem foi que o escreveu? Não vi qualquer referência...

Nilson Barcelli disse...

Ah... não abri o vídeo...
Desculpa, não percebi na altura.
Beijo.

Mena disse...

Cristina Massena, uma arquitecta desempregada é a autora e a voz de "Acorda Portugal".