segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

«would you be my Valentine».

Colar com várias peças em fimo em tons de rosa e branco, pedras, cascalho e bolas em vidro, contas em vidro em dois tons de rosa, flores em fita rosa forte, flor em feltro (técnica de feltragem) em branco e rosa, corrente prateada e duas peças em arame de prata. O olho da flor é em fimo branco.
Brincos com pérolas e entremeios em metal dourado.


São Valentim

O dia de S. Valentim é uma época para celebrar a amizade, a família e o amor. Ninguém sabe ao certo a sua origem. Uma das teorias apresenta São Valentim como um mártir que, em meados do séc. III d.C., se recusou a abdicar da fé cristã que professava. A outra teoria defende que, na mesma altura, o Imperador Romano Cláudio II teria proibido os casamentos, para angariar mais soldados para as frentes das suas batalhas. No entanto, um sacerdote, Valentim, teria violado o decreto imperial, realizando casamentos em segredo. Após ter sido descoberto, Valentim foi preso, torturado e condenado à morte. Enquanto esteve na prisão, ele teria recebido muitas mensagens de encorajamento e flores das pessoas que acreditavam no amor. Durante o seu cativeiro, uma mulher, Júlia, filha do seu carcereiro, cega desde nascença, visitava-o regularmente e levava-lhe comida. Valentim, sensibilizado com o problema de Júlia, implorava diariamente a Deus um milagre. Certo dia, durante uma das suas visitas, uma luz iluminou a cela e Júlia começou a chorar… ela começou a ver. Perante este milagre, toda a família da rapariga se converteu ao Cristianismo. Cláudio II, sabendo desta história e percebendo que Valentim não tinha renunciado ao seu Deus, condenou-o à morte. Ambas as teorias defendem que São Valentim fora um sacerdote cristão, fora mártir e que teria sido morto a 14 de Fevereiro de 269 d.C. Assim,
algumas pessoas acreditam que se comemora nesta data o dia dos namorados por ter sido a data da morte de São Valentim. Por outro lado, outros reclamam que foi a Igreja Católica que decidiu celebrar a ocasião nesta data como uma forma de cristianizar as celebrações pagãs da Lupercalia. Fevereiro era o mês oficial do início da Primavera, sendo considerado o tempo de purificação. O dia 14 de Fevereiro, na Antiga Roma, era dedicado à Deusa Juno – a Deusa das mulheres e do casamento. No dia seguinte, 15 de Fevereiro, iniciava-se a Lupercalia celebrando-se assim o amor e a juventude.
Os meninos e meninas, nessa altura, viviam completamente separados. Durante o Festival, os meninos tiravam à sorte um nome de uma menina de um vaso. Os pares dançavam e brincavam juntos, durante o Festival. Às vezes os pares ficavam juntos durante todo o ano, chegando mesmo a apaixonar-se e a casar. São Valentim, como tinha sido morto a 14 de Fevereiro, foi a razão para fazer uma adaptação da Lupercalia ao Cristianismo, tornando-o o protector dos namorados. São Valentim, além de proteger os apaixonados, é patrono dos Apicultores, e também é invocado contra a Peste.


Tradições do Dia de São Valentim

Há muitas tradições associadas ao dia de São Valentim, estas variam de país para país.
Por exemplo, nas Ilhas Britânicas, no tempo dos Celtas, as crianças costumavam vestir-se de adultos e cantavam de porta em porta, celebrando o amor; hoje no País de Gales, os apaixonados trocam entre si prendas, como colheres de madeira com corações gravados, chaves e fechaduras, que significam «Só tu tens a chave do meu coração».
Na Idade Média, em França e actualmente em Inglaterra, no dia 14 de Fevereiro, os jovens sorteiam os nomes dos seus pares que são cosidos nas mangas, durante uma semana. Se alguém trouxer um coração pregado na camisola, isso significa que essa pessoa está apaixonada.
Ao longo dos tempos, as tradições de São Valentim foram adquirindo um grau de complexidade cada vez maior, foram-se criando novas tradições, lendas e brincadeiras, como é o caso das mensagens dos apaixonados.
A tradicional troca de cartões, cartas e bilhetes no dia 14 de Fevereiro teve origem na própria lenda de São Valentim, este teria deixado um bilhete à filha do seu carcereiro. No século XV, Charles, o jovem duque de Orleães, terá sido o primeiro a utilizar cartões de São Valentim. Este, enquanto esteve preso na Torre de Londres, após a batalha de Agincourt em 1945, terá enviado, por altura de São Valentim, vários poemas e bilhetes de amor à sua mulher que se encontrava em França.
Durante o século XVII era costume os apaixonados escreverem poemas originais, ou não, em pequenos cartões que enviavam aos eleitos(as) do seu coração. Mas, foi a partir de 1840, na Inglaterra vitoriana, que as mensagens de São Valentim passaram a ser uniformizadas. Os cartões passaram a ser enfeitados com fitas de tecido e papel especial e continham textos que ainda hoje nos são familiares, como é o caso de «would you be my Valentine».
Nos dias de hoje, é entre os mais novos que estas mensagens de São Valentim são mais populares, sendo uma forma de expressarem as suas paixões.


Dedico este vídeo e esta canção ao meu Amor



Às vezes e sempre o AMOR




Que tal para finalizar um poema de Florbela Espanca?


Fanatismo


Minh'alma, de sonhar-te, anda perdida
Meus olhos andam cegos de te ver!
Não és sequer razão de meu viver,
Pois que tu és já toda a minha vida!

Não vejo nada assim enlouquecida...
Passo no mundo, meu Amor, a ler
No misterioso livro do teu ser
A mesma história tantas vezes lida!

Tudo no mundo é frágil, tudo passa..."
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim!

E, olhos postos em ti, vivo de rastros:
"Ah! Podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus: princípio e fim!..."



Já tenho madrinha.
É a Sónia da Xana Paixões.
Agora preciso de afilhadas, para ficar a família completa, não é?
Beijinhos para todos e namorem bastante. Faz bem à pele!

4 comentários:

Anónimo disse...

Agradeço-te, meu amor, a canção que me dedicaste e o teu amor incondicional.
Um beijo por dia todos os dias da minha vida (de tarde e à noite também).
Amo-te muito
Zé Manel

BARBARA (MEX) disse...

Hola hace unos días visitáste mi blog y agradezco tus comentarios y sin el afán de quedar bien dejame decirte que tus trabajos son maravillosos, y de las fotos que tienes no se si tu las tomaste pero están increíbles, espero me sigas visitando y sigamos en contacto.
Bárbara (Méx)

Atelier da Casaleira disse...

Olá boas noites mena:) gosto da descrição do tema de s.valetim e, acima de tudo da forma como expõe várias temáticas, aliando dessa forma:arte de produzir e a arte do conheciemnto...beijinho

ps. já publiquei no meu blog os meus presentes:)

Anónimo disse...

Olá!
Lembra-se de mim?
Sou a Rita. Deram-me este link e disseram-me que podia encontrar coisas giras aqui. Qual não foi o meu espanto, quando vi que era a professora que publicava neste blogue.
parabéns, tem coisas lindas e os textos também são interessantes e ensinam sempre algo (defeito da profissão, calculo!)
beijinhos
Rita (da Foz)