sábado, 2 de fevereiro de 2008

Saber tirar a máscara...

Ainda não há vencedor para o desafio que propus na última sessão. Pediram-me pistas, pois bem! São necessárias duas flores iguais para proceder à decoração do(s) objecto(s) de que vos falei anteriormente. Vá lá, já não há muitas hipóteses mais. Cá espero a vossa resposta! Tenho um lindo presente para quem acertar! Ah! estas flores que aqui vêem vão ter o mesmo fim. Bons palpites!
Flor em fazenda aos quadrados com botão em murano com a forma de flor.
Flor em fazenda aos quadrados com peça prateada a fazer o botão da flor.
Flor em fazenda mesclada com bola em massa fimo castanho com ouro a fazer o olho da roseta.

Flor em fazenda mesclada com peça em metal prateado e pérola com carrapeta dourada a fazer o olho da roseta.

Brincos com pérola em cima de almofadinha com alfazema.
O fato de Carnaval (cheerleader) que fiz para a minha filhota.
Na escola, os miúdos vivem esta época intensamente. Já andavam a falar no desfile e nas máscaras há algum tempo. Chegam a zangar-se, porque querem ter a máscara mais bonita, mais original, mais bem feita...
Chegaram à escola, na sexta-feira, pelas 8.30 m, e foi vê-los a sair dos carros dos pais, com muito cuidado, para não estragarem os disfarces. Outros sairam rapidamente para não serem reconhecidos: o carro e os pais podiam denunciá-los e estragar a surpresa , deitando tudo a perder. Alguns pediram para serem deixados um pouco mais afastados da escola, "não vá o diabo tecê-las" e alguém, apesar de todos os cuidados, reconhecê-los. Os mais prevenidos entraram na escola carregados de sacos, onde levavam o fato e todos os apetrechos necessários para se disfarçarem, iam aos grupos para as casas de banho, pediram ajuda a um ou outro professor e aperaltaram-se todos, pintaram-se e ajudaram os colegas com menos jeito a pintar-se e juraram ali e fizeram jurar que não diziam a ninguém quem eram uns e outros. Por fim, o desfile aconteceu.
Aqui está um breve apontamento desse acontecimento...














O Carnaval tem raízes históricas que remontam aos bacanais e a festejos similares em Roma. Alguns historiadores relacionam o Carnaval com as celebrações em homenagem à deusa Ísis ou ao deus Osíris, no Antigo Egipto. Uma outra corrente acredita que a festa teve início com a adopção do calendário cristão.

Os primeiros relatos acerca desta festividade surgiram em Roma, no séc. XI. Em Roma havia uma festa, a Saturnália, em que um carro com o formato de um navio abria caminho pelo meio da multidão, que usava máscaras e promovia as mais diversas brincadeiras. Segundo alguns, a origem da palavra Carnaval é carrum navalis (carro naval), mas a explicação mais aceite é a que liga a palavra "Carnaval" à expressão carne levare, ou seja, afastar a carne, uma espécie de último momento de alegria e festejos profanos antes do período triste da quaresma.

Em 1091, a data da Quaresma foi definitivamente estabelecida pela Igreja Católica. O Carnaval estabeleceu-se na sociedade ocidental, sofrendo, entretanto, alguma oposição da Igreja, na Europa. Embora alguns papas tenham permitido o festejo, outros combateram-no vivamente, como o Papa Inocêncio II.

Após o Renascimento, pelo Carnaval apareceram os bailes de máscaras, as fantasias e os carros alegóricos. À festa popular e desorganizada juntaram-se outros tipos de comemoração e progressivamente a festa foi-se tornando no que é hoje.



Aqui vos deixo um poema de Fernando Pessoa – Álvaro de Campos

Depus a máscara e vi-me ao espelho.
Era a criança de há muitos anos.
Não tinha mudado nada...
É essa a vantagem de saber tirar a máscara.
É-se sempre criança,
O passado que foi
A criança.
Depus a máscara e tornei a pô-la.
Assim é melhor,
Assim sem a máscara.
E volto à personalidade como a um términus de linha.


Alguns mascaram-se apenas pelo Carnaval, brincam, dizem verdades ou não, ofendem uns e outros... depois, acabada a folia, tiram o disfarce e avançam de cabeça erguida pela vida, dando o seu melhor, fazendo o melhor que sabem e conseguem o seu trabalho, fazendo da honestidade a sua bandeira.
Outros andam mascarados a vida inteira, sugam o sangue aos pobres trabalhadores (já dizia Gil Vicente, cada vez mais actual a sua crítica!), pedem-lhes sacrifícios em nome de uma crise que parece que veio para ficar e esses seres intocáveis abotoam-se com rendimentos vergonhosos, acumulam reformas chorudas, subsídios para isto e para aquilo...
Que tal, começarem as reformas por cima? Que tal, darem o exemplo? Porque é que são sempre os mesmos a pagar a crise? Porque é que o pobre tem de trabalhar até à morte para receber uma pensão de miséria e outros "trabalham" meia dúzia de anos e recebem reformas por inteiro de valores, por vezes, inacreditáveis? Será que não sentem um pingo de vergonha na cara?
Pois é, não custa nada pedir sacrifícios, quando não temos intenção de os fazer! "Com o mal dos outros posso eu bem" é o que parece dizerem.
Escrevi em cima o verbo trabalhar entre aspas, não foi engano não! Já fui três ou quatro vezes à Assembleia da República com alunos, em visitas de estudo, e os alunos (13, 14, 15 anos) nem queriam acreditar que os pais andavam a descontar para pagar àqueles "manfios" (foi assim que lhes chamaram) para estarem a ler o jornal, revistas, a falar e até mesmo a jogar no telemóvel, a conversarem... enquanto alguém discursava para ninguém ouvir. Só nós estávamos atentos e calados e não estávamos ali para auferir qualquer rendimento. Uma vergonha!
É preciso saberem tirar a máscara de uma vez por todas, senhores, e olharem um pouco para baixo, porque o povo não entende porque é que só ele tem de fazer sacrifícios. Se todos remássemos para o mesmo lado e com a mesma força, seria mais fácil levar o barco a bom porto. Chega de injustiça! Somos todos iguais, ou será que não somos, estarei enganada?

Bom fim-de-semana, divirtam-se!

10 comentários:

Atelier da Casaleira disse...

olá boas tardes:)fotos bonitas:)beijinhos

fazendoarte disse...

muito legal teu escrito sobre o Carnaval,
bjs

Atelier da Casaleira disse...

Bem...depois de ter moído a cabeça...pois não é nada fácil...duas flores + dois fletros = dois sapatos
as flores serviram para por nos sapatos:) será?!se assim o é, deixe-me que lhe diga, é extremamente original e criativo:)

Anónimo disse...

A pista não é muito elucidativa, mas duas flores iguais! Talvez para enfeitar uma luvas, diz lá que não ficavam bem giras.
Gostei das fotos do Carnaval e do fato da filhota!
Ah! a almofadinha com alfazema também é uma ideia gira, os brincos são simples mas muito bonitinhos.
Bj
Rute

APO (Bem-Trapilho) disse...

engraçado! aidna há pouco estava a falar com uma amiga minha k mora no egipto e perguntei-lhe se se festejava o Carnaval lá! obviamente não como uma festa católica mas se por ventura teriam alguma festa nesta altura reminiscente de alguma tradição antiga. E agora vejo no teu post que alguns historiadores reportam o inicio destes festejos ao Egipto! :)
quanto à pista,acho que vou pensar melhor, pois já é muito tarde e os neurónios cá de cima já foram dormir! acho bom eu ir tb! :)))
Bjinhos linda! fica bem!

APO (Bem-Trapilho) disse...

ai, andas-me a pôr a cabeça em água com este desafio!!! será que vai por as florzinhas nuns collants para a tua filhota? provavelmente não, eu é que já não tenho imaginação para mais! :)
quando é que dás a resposta? se estiveres à espera que alguém adivinhe... nã me parece!!!
olha, outra coisa, és tu a Mena que me costuma deixar comentários sem link só assinados "Mena" nos dois blogues? é que como eu tenho outra amiga chamada Mena e ela não tem blog,penso sempre que é ela, mas se calhar afinal és tu esta Mena.
bjinho linda! :)

APO (Bem-Trapilho) disse...

cachecol!!! já alguém disse cachecol??? :)

APO (Bem-Trapilho) disse...

o foto da tua pequenota está giríssimo! postei tb fatos de carnaval da minha!
ahhh assim já sei que quando aparecer uma Mena anónima ;-) és tu!!! :)))

Brisa de Amor disse...

Oi Mena!
Obrigada pela visita y comentario en mi blog!
Aca se respira color y alegria, parabens!

beijos do Argentina

Anónimo disse...

Difícil, hem, esse desafio!
Será que ainda ninguém adivinhou?
Cá para mim, não vai haver vencedor!
Bj
Jessy