quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Ai flores, ai flores do verde pino

Flores de feltro em castanho e laranja com botões em fimo.
Bonequinhas em fimo para colocar em porta-chaves, flor em feltro, coração em tecido às riscas debruado a rosa e outras peças em fimo.

Vou propor-vos um desafio: estas flores de feltro foram confeccionadas com que fim? Dêem uma resposta, deixando um comentário e o contacto. Quem acertar, receberá um presente mym. Boa sorte! Participem.
Na próxima sessão eu darei a resposta correcta e revelarei o vencedor do desafio.
Colar para menina com várias peças em fimo, cordão branco e corrente prateada.
Porta-chaves


Olá!
Cá estou outra vez!

Hoje não vos vou propor qualquer passeio. O dia não está nada agradável! Está muito vento, pelo menos por aqui.

Então, decidi escrever sobre o dia-a-dia, algo do tipo "ficar por casa!…”

Eu costumo dizer, às vezes, que os meus dias deveriam ter pelo menos mais umas seis horas. Para quê? Perguntam. Para fazer tudo aquilo de que gosto: dar aulas, ler, conversar com os alunos sobre outras coisas, ler, cuidar das plantas, ler, bordar, ler, moldar, ler, cozinhar, ler, passear, ler, estar com os amigos, ler, passar mais tempo com a família, ler… De facto, não tenho tido muito tempo para ler e é por isso que o repeti uma centena de vezes.

Hoje, quando cheguei da escola, estava a pensar no que havia de fazer para o jantar, tinha de ser algo do agrado de todos. Eu gosto de cozinhar, às vezes, mas não pratos simples e sem graça, gosto de enriquecer os meus cozinhados, de inventar, de misturar ingredientes e cada prato é, muitas vezes ou quase sempre, uma surpresa para todos. Até já perguntam “O que é que inventaste desta vez para o jantar”. Hoje, porém, não inventei nada de novo, porque vou fazer um coelho que fiz outro dia, quando convidei uma amiga. E imaginem o que ela disse! “Já te conheço há uns anitos e nunca pensei que fosses tão boa cozinheira!”. Claro que o meu marido replicou logo que eu era uma caixinha de surpresas, que a maior parte das pessoas desconhecia os meus dotes, bla-bla-bla.

Ora bem, decidi dar-vos a receita do coelho à minha moda, é fácil e muitíssimo apetitoso. Depois, digam se é ou não como eu digo.


Ingredientes:

1 coelho

4 dentes de alho

2,5 dl de azeite

Batatas pequenas

200 g de cogumelos inteiros

Tomilho

Sal

Pimenta em grão

Louro

Corte o coelho em pedaços e tempere-o com sal, pimenta em grão, dentes de alhos às rodelas finas e folhas de louro.

Na panela de pressão ou numa caçarola, coloque o azeite e leve a lume brando. Quando estiver quente, adicione o coelho, os alhos laminados e os grãos de pimenta (não junte aquele molho que o coelho costuma ganhar). Tape a panela e deixe estufar, lentamente, durante 20 minutos. De vez em quando, agite a panela.

Entretanto, descasque as batatinhas e passado o tempo indicado, junte-as ao coelho, salpicando-as com o sal e o tomilho. Adicione também os cogumelos, volte a tapar a panela e deixe cozinhar por mais 15 minutos. Não esqueça de agitar de vez em quando a panela para não se pegar. Sirva com uma boa salada mista e delicie-se.


E como “nem só de comer vive o homem”, vou mostrar-vos as plantas e flores que tenho no meu jardim. Noutra altura, mostrar-vos-ei as plantas de interior. E na Primavera, voltarei ao tema, porque há flores que só nessa época florescem. Espero que gostem!






Bem, não imaginam onde está esta planta: junto ao poste da luz, dentro do espaço que deixaram no passeio para a colocação do candeeiro.

O meu alecrim está carregadinho de flores brancas. Lindo!



A minha oliveira está a ficar cada vez mais bonita!

A cameleira veio da outra casa, estava num local abrigado e estava linda, trouxe-a comigo e uma outra de flores brancas que não resistiu ao vento que se sente por aqui. Esta esteve muito feia, completamente depenada, mas este ano já deu flor, já se habituou ao nosso amigo vento.

Como o tema foram as flores e as plantas do meu jardim, aqui fica um poema de D. Dinis, uma cantiga de amigo.

-Ai flores, ai flores do verde pino,
se sabedes novas do meu amigo!
Ai Deus, e u é?

Ai, flores, ai flores do verde ramo,
se sabedes novas do meu amado!
Ai Deus, e u é?

Se sabedes novas do meu amigo,
aquel que mentiu do que pos comigo!
Ai Deus, e u é?

Se sabedes novas do meu amado
aquel que mentiu do que mi ha jurado!
Ai Deus, e u é?

-Vós me preguntades polo voss'amigo,
e eu ben vos digo que é san'e vivo.
Ai Deus, e u é?

Vós me preguntades polo voss'amado,
e eu ben vos digo que é viv'e sano.
Ai Deus, e u é?

E eu ben vos digo que é san'e vivo
e seerá vosc'ant'o prazo saído.
Ai Deus, e u é?

E eu ben vos digo que é viv'e sano
e seerá vosc'ant'o prazo passado.
Ai Deus, e u é?

pino: pinheiro

novas: notícias

e u é?: e onde ele está?

do que pôs comigo: sobre aquilo que combinou comigo (isto é, o encontro sob os pinheiros)

preguntades: perguntais

polo: pelo

que é san’e vivo: que está são (com saúde e vivo)

e seera vosc’ant’o prazo saído (passado): e estará convosco antes de terminar o prazo combinado

Este tipo de cantiga teve origem na Península Ibérica. Nela, o sujeito poético é uma donzela (mas o autor era um homem, devido à sociedade feudal e ao restrito acesso ao conhecimento na época), que canta seu amor pelo amigo (amigo = namorado), muitas vezes em ambiente natural. A figura feminina que as cantigas de amigo desenham é, pois, a da jovem que se inicia no universo do amor, lamentando, por vezes, a ausência do amado, outras vezes cantando a sua alegria pelo próximo encontro. Aqui, nesta cantiga, a donzela pergunta às flores dos pinheiros (elementos personificados) notícias do seu amado, por onde andará ele? Ele ter-lhe-á mentido, isto é, teria marcado um encontro, ao qual ainda não compareceu. Os pinheiros respondem à donzela que o seu amado está bem de saúde e vivo e que se encontrará com ela antes de terminar o prazo combinado.


16 comentários:

Atelier da Casaleira disse...

Adorei o tema:natureza...flores!boa opção.Como gosto de desafios e, achei este giro, dou o meu palpite:penso que as flores em feltro foram confeccionadas especialmente tendo como meio de inspiração o seu jardim:)para que fim?para aplicações artesanais:camisas,malas!Bons trabalhos.beijinhos Raquel Marques
http://atelierdacasaleira.blogspot.com/

Atelier da Casaleira disse...

Não ha umas pistas?lol

Anónimo disse...

Bem, para outro porta-chaves não deve ser, certo?
talvez para uma pregadeira, será?
Lindas plantas!
Beijo
Jessy

Atelier da Casaleira disse...

vou dormir..pensando que as flores possam ser para aplicar nas almofadas:)lol

APO (Bem-Trapilho) disse...

eu para mim usava-as num colar ou num mobile! ficariam girissimas!
bjinhos

Coisas de Mulher disse...

Olá!
Eu ia dizer colar ou móbile, mas esta linda aqui de cima já disse, ih ih...
Beijinhos!
Helena

APO (Bem-Trapilho) disse...

isto é giro, tentar adivinhar. estao-me a passar as coisas mais estapafurdias pela cabeça! LOL
vou arriscar na decoração de uma moldura. :)

APO (Bem-Trapilho) disse...

LOL, entao se não forem uns brincos bem grandoes e originais estou com a "atelier da casaleira" quero umas pistas!!! ;-)

Anónimo disse...

Ola vim agradecer a visita...fiquei encantada com seu jardim adoro plantas só lamento não ter quinta nem para vasos.....lindos trabalhos bjs Ednamar
http://lp-artesanato.zip.net/

Anónimo disse...

Que flores lindas!
Bem, talvez as flores sejam para pôr numa sacola ou num estojo.
Estarei certa?
LS

APO (Bem-Trapilho) disse...

já sei: vao virar ganchos!!! ;o) será? :)))

Angélika disse...

As flores são ideais para pregadeiras, embora também as consiga visualizar em porta-chaves, em telas simbolizando o jardim, ou então aplicadas em bolsas, ou numa bandolete. Acho que aqui a imaginação é que conta e isso não me falta e era capaz de continuar a dissertar sobre o uso das flores Hehehehe.

Aplicadas numa camisola de lã, numas calças de ganga, num cinto...

Hehehehehehehe fico-me por aqui :)

Gostei muito de conhecer o blog.

Beijitos
Angélika

APO (Bem-Trapilho) disse...

e que tal num postalzinho de S. vlentim?
bjinhos e bom fds! diverte-te no Carnaval! :)))

Joanita disse...

Os porta-chaves estão muito fofos =)

*Joanita

Arte na Mão disse...

Olá Mena
Obrigada pela tua visita e comentário. Nesta primeira visita que te faço, fiquei encantada....bijuterias, fimo, feltro, plantas, cultura, culinária....bem...realmente és uma caixinha cheia de surpresas!!
Adorei a prenda da Manuela, desde o conjunto á caixa, tudo uma delicia.
Beijinhos grandes e muito sucesso.
Alik

S o f i a disse...

Adorei o teu blog tem imagens liiindas! O os trabalhos são extraordinários! Parabéns! Quanto ao bolo, é muito simples e simplesmente delicioso. Levei 1 pro trabalho e foi um record: foi-se em 2 horas! :)