segunda-feira, 6 de outubro de 2008

A dor da gente não sai no jornal

COMUNICAÇÃO LITERÁRIA



O que faz do homem aquilo que ele é, um ser distinto de todos os demais seres vivos, é a linguagem, a capacidade de comunicar com os outros homens, partilhando com eles todo o tipo de informação. Pela linguagem o homem é capaz não apenas de comunicar (transmitir e receber informações), mas também, e principalmente, de recolher e tratar dados, elaborando a informação que transmite. Em suma, graças à linguagem, o homem é capaz de pensar e de comunicar. Pensamento e linguagem estão, portanto, indissoluvelmente ligados. Podemos dizer que não há pensamento sem linguagem, nem linguagem sem pensamento.

A Literatura é uma forma particular de comunicação, provavelmente tão antiga como o homem. Também aqui encontramos um emissor (autor), um receptor (leitor) e uma mensagem (a obra literária) que circula de um para o outro.

Autor

-->

Texto literário

-->

Leitor

Ao distinguirmos uma variedade específica de comunicação – comunicação literária – caracterizada por uma mensagem diferenciada, estamos implicitamente a estabelecer uma oposição entre o texto não literário e o texto literário. Vejamos então de forma sintética quais são esses traços distintivos.

Texto não literário

Texto literário

  • Linguagem denotativa
  • Tendência para a objectividade
  • Predomínio da função informativa
  • Significante como mero suporte do significado
  • Respeito pela norma linguística
  • Finalidade utilitária
  • Relação de correspondência com o real
  • Linguagem conotativa
  • Tendência para a subjectividade
  • Predomínio da função poética
  • Significante assume valor expressivo
  • Desvio relativamente à norma linguística
  • Finalidade estética
  • Relação de verosimilhança com o real

Texto não literário

Cavaco Silva: "É nestas alturas que se vê a fibra de um povo."


Comemorações da Implantação da República

Cavaco destaca "tempos difíceis que não podem ser iludidos"

Num discurso proferido hoje em Lisboa, o chefe de Estado português fez questão de enunciar o quadro de dificuldades internas e internacionais deixando claro, no entanto, que acredita na "capacidade" para ultrapassar a crise.




O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, afirmou hoje que Portugal vive "tempos difíceis", registando "fracos índices de crescimento económico", realidade que disse não poder ser iludida pelos agentes políticos.

"O que é vivido pelos cidadãos não pode ser iludido pelos agentes políticos. Quando a realidade se impõe como uma evidência, não há forma de a contornar", declarou

Cavaco Silva no discurso que proferiu nas comemorações da revolução republicana de 5 de Outubro, em Lisboa.

O discurso de Cavaco Silva seguiu-se ao do presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, numa cerimónia em que, entre outras autoridades, estiveram presentes o presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, o primeiro-ministro, José Sócrates, e a líder do PSD, Manuela Ferreira Leite.

"Portugal tem registado fracos índices de crescimento económico. Afastámo-nos dos níveis de prosperidade e de bem-estar dos nossos parceiros europeus. Ainda não invertemos a insustentável tendência do endividamento externo", considerou.

"Emergem novas e chocantes disparidades"

Na sua intervenção nas comemorações do 05 de Outubro, o chefe de Estado sublinhou por várias vezes que o seu dever "é falar a verdade" aos portugueses e "não iludir as dificuldades" dos tempos presentes.

"Porque falo sempre verdade aos portugueses e porque tenho como princípio conhecer a realidade do país, escutar os meus concidadãos e ouvir as suas preocupações, sei bem que muitos atravessam momentos de incerteza perante o futuro", afirmou.
Segundo o diagnóstico do Presidente da República, "muitas famílias têm dificuldade em pagar os seus empréstimos que contraíram para comprar as suas casas; há idosos para quem a reforma mal chega para as despesas essenciais; há jovens que buscam ansiosamente o seu primeiro emprego; há homens e mulheres que perderam os seus postos de trabalho", apontou.
Ainda de acordo com Cavaco Silva, estão a nascer em Portugal "novas formas de pobreza e exclusão social e, em paralelo, emergem novas e chocantes disparidades".
Só depois de enunciar este quadro de dificuldades internas é que Cavaco Silva se referiu à actual crise financeira internacional. "A situação internacional, por outro lado, não é favorável. Ao elevado preço do petróleo e dos produtos alimentares alia-se o aumento das taxas de juro", disse.
No entanto, em paralelo com os problemas da actual conjuntura, o Presidente da República deixou também uma mensagem de esperança no futuro.
"É nestas alturas que se vê a fibra de um povo. Este é o tempo em que aqueles que servem as instituições devem fazer prova do seu real valor e da sua visão de futuro. Os tempos são difíceis, mas a vontade e o querer dos portugueses terão de ser mais fortes", frisou o chefe de Estado.
Para Cavaco Silva, Portugal "tem capacidade" para ultrapassar a crise, alegando que já o fez em outros momentos da História.

"Os nossos filhos e os nossos netos não nos perdoarão se baixarmos os braços, se não formos capazes de fazer as escolhas certas e ultrapassar as dificuldades que Portugal enfrenta", acrescentou.







Lusa





Texto literário

Notícia de Jornal

Tentou contra a existência
Num humilde barracão.
Joana de tal, por causa de um tal João.

Depois de medicada,
Retirou-se pro seu lar.
Aí a notícia carece de exactidão,
O lar não mais existe
Ninguém volta ao que acabou
Joana é mais uma mulata triste que errou.

Errou na dose
Errou no amor
Joana errou de João
Ninguém notou
Ninguém morou na dor que era o seu mal
A dor da gente não sai no jornal.

Chico Buarque






A Mena na cozinha

Caldeirada de bacalhau

4 postas de bacalhau
2 cebolas
2 dentes de alho
900g de batatas
4 tomates
1/2 pimento laranja ou verde (ou ambos)
1/2 pimento vermelho
1/2 pimento amarelo
1 pitada de colorau
1 dl de azeite
1 dl de vinho branco
salsa
sal
pimenta


Divida cada posta de bacalhau em três partes iguais. Descasque as cebolas, os alhos e as batatas e corte, todos eles, em rodelas.
Coloque os alhos e as cebolas no fundo de um tacho.

Sobreponha as batatas e, de sequida,

o tomate e os pimentos.

Junte o bacalhau e tempere com o colorau, o sal e a pimenta. Polvilhe com salsa e regue com o azeite e o vinho. Leve a cozinhar, durante 30 minutos, em lume brando, abanando o tacho, ocasionalmente.

Rectifique os temperos e sirva com um salada mista.





Os meus trabalhinhos:


Brincos



Colar

Já agora, dá um saltinho aqui!

9 comentários:

Feltro em casa disse...

Oi Mena!!!
Que amor este colar com a bonequinha, fofo!!!
Hummm... caldeirada de bacalhau (já tô indo para o aeroporto pegar um avião direto para aí!!!Me espera...) delícia!!!
Gostou da supergirl??? engraçado né? adorei mandar para os amigos!!!Um beijão
Malú

SANDRA RIBEIRO disse...

ola mena
como sempre coisinhas lindas e boas estes colarsinhos sao lindissimos e a caldeirada tem ca um aspecto uhhhhhhhhhhh
beijos e boa semaninha

Sonia Facion disse...

Como dizem vcs, muito giro esses brincos e uma graça esse colar com a bonequinha.

Mena, tô prá te dizer, que país não está difícil com a sua economia!!!

Essa caldeirada de bacalhau deve ter ficado o máximo!!!

Bjks querida

Sonia

Chocolate disse...

Olá Mena!!
aodrei o colar, muito fofinho mesmo!!!
estou curiosa para ver o nome que foi escolhido para o prato!!
beijinhos e boa 3f!!!

artes_romao disse...

Boa tarde,td bem?
sim, tens razao...
as tuas bijus estao um mimo, parabens.
em relaçao a caldeirada deve ficar deliciosa, hummmm....
fika bem,jinhos***

Bah disse...

Oi Mena!

Lindo colar com a bonequinha! Você e sua filhota tem razão, é muito fofo!

Calderada? Hummmm... Esse blog dá fome! Hehehe...

Bjokas!

mfc disse...

Muito do diagnóstico feito por CS no discurso do 5 de Outubro radica na sua governação. Senão veja-se a questão do endividamento particular e da dívida pública, a generalização dos contratos a prazo, a admissão a jorros na função pública... enfim!
Parece atacado pela doença de Alzheimer... não se lembra de nada!

Cor de Mel disse...

Olá Mena,
Muito a correr, pois quero vir ver este seu "post" com toda a calma e ler tudo muito bem, passei só para avisar que já saiu a lista de parceiras da troca. Passe lá para ver a sua e tem lá uma surpresa para si.
Beijinhos grandes para si,
Lia.

Cor de Mel disse...

Olá Mena,
Já cá tinha estado ontem à noite a ler calmamente este seu "post" mas só hoje tive tempo de o comentar.
A caldeirada de bacalhau, um prato que a minha mãe muito aprecia e adora fazer, mas eu, nem por isso.
Os brincos e o colar estão super elegantes e lindos.
O discurso do Senhor Presidente, é muito realista, ao contrário do que os outros políticos nos querem fazer querer e muito negro, tal como a verdadeira e real conjuntura mundial. Pode ser que consigamos sair da crise, mas..., bom, deixemo-nos de politiquices.
A parte da Literatura como forma de comunicação e as subjacentes justificações e explicações, já sabe que adorei e sou fã. Qualquer dia ainda me submeto a um exame de português, feito por si (eheheh)!
Um grane beijinho,
Lia.