segunda-feira, 15 de março de 2010

Almoço literário II

No nosso almoço literário até os individuais estavam decorados com poemas de vários poetas.
Ficaram lindos, não ficaram?

Pais e filhos mostraram os seus dotes de leitores.

Alguns meninos e meninas, envergonhados perante um tão grande público, solicitaram o apoio dos pais.

Outros mostraram-se muito à vontade.

Os mais pequeninos precisaram de um passarinho a soprar-lhes ao ouvido as palavras mais difíceis.

Outros dramatizaram o texto. Era um diálogo, claro!


O sorriso mostra bem que está a gostar do que lê! Não acham?

Uns liam e outros treinavam ainda.

A cogitar... a meditar... a reflectir... a pensar... a matutar... a idear... a analisar...

Houve leituras mais entusiasmadas que outras!

Houve leitores suspensos nas palavras que iam sendo soletradas!

No fim, houve sorrisos rasgados... de... dever cumprido!

E porque o homem não vive só de poesia... Os actores deixaram o palco e banquetearam-se... Mereceram bem!





A corrente renascentista da lírica camoniana


Os modelos formais e temáticos da lírica camoniana revelam também a cultura humanística e clássica do poeta, sob a influência de autores greco-latinos, como Platão ou Ovídio, e italianos, como Petrarca ou Dante.


Temas:

- o petrarquismo

- o amor platónico

- a sensualidade

- a beleza divina

- a saudade

- o destino

- a mudança

- o desconcerto do mundo


Petrarquismo

Imitação e propagação do estilo poético de Petrarca e da sua obra Canzoniere, motivadas pela aspiração à perfeição formal que desde muito cedo dominou a poesia portuguesa.



Amor platónico

O amor platónico é aquele que nunca se concretiza.



Formas:

- o soneto

- a canção

- a écloga

- a elegia

- a ode



Soneto

Forma poética constituída por 14 versos distribuídos por duas quadras e dois tercetos. As quadras seguem o esquema rimático ABBA/ABBA e os tercetos o esquema CDC/CDC ou CDE/CDE.

O último terceto é, geralmente, a chave de ouro do poema, isto porque é nele que está contida a síntese do conteúdo do soneto.

A chamada medida nova corresponde aos versos decassilábicos que podem ser heróicos (quando acentuados nas 6ª e 10.ª sílabas) ou sáficos (quando acentuados nas 4.ª, 6ª e 8ª ou 10.ª sílabas).



Canção

Forma poética, de origem provençal, constituída por uma série de estrofes heterométricas (com versos de medida desigual) e rematadas por uma estrofe mais curta, que se converteu, segundo o modelo de Petrarca, na mais ilustre manifestação do lirismo amoroso da literatura renascentista.



Écloga

Por écloga entende-se, vulgarmente, um poema escrito sob a forma de diálogo, de conversa aberta entre as entidades presentes no texto e, muitas vezes, entre o autor, as personagens e o próprio leitor. A temática versada nas éclogas relacionava-se, quase sempre, com a vida campestre, os amores pastoris, as impossibilidades e não correspondências dos amores vários. Na chamada Época Clássica, a écloga servia também como meio para profundas reflexões morais, estéticas e filosóficas. O introdutor deste subgénero literário em Portugal foi Sá de Miranda, influenciado por escritores italianos como Dante e Boccaccio.



Elegia

Composição poética lírica, cujo tom é quase sempre melancólico e terno.



Ode

Composição poética lírica de assunto elevado, própria para ser cantada.




Trabalhinho:

Porta-chaves



A Mena na cozinha

Filetes no forno

filetes de pescada
2 cebolas
1 dente de alho
1 pimento amarelo
1 copo de vinho branco
sal
pimenta
1/2 malagueta grande
azeite
4 tomates maduros


Corte a cebola, a malagueta e o dente de alho às rodelas e leve ao lume com um pouco de azeite. Quando a cebola estiver transparente, junte o pimento cortado às tiras e os tomates aos pedaços.
Deixe cozinhar um pouco. Tempere e adicione o vinho.

Ponha parte do preparado anterior no fundo de um pirex. Disponha uma camada de filetes, salpique-os com um pouco de sal.

Por cima dos filetes, deite o resto da cebolada e leve ao forno.

Sirva com puré de batata ou batatas cozidas cortadas às rodelas e salada.
Bom apetite!

5 comentários:

APO (Bem-Trapilho) disse...

ah ah ah ah ah ah ah... e esse individual estava deveras inspirador! :) não sei se conseguiria comer alguma coisa depois de o ler! :) mas a ideia estava fantástica. adorei mesmo!
gostei tb muito do porta-chaves. como sempre, as tuas criaçoes muito charmosas!!!
quero agradecer-te a visita, em especial no blog da minha princesa! :) obrigada! volta sempre! já lá há mais uma novidade. Desta vez são desenhos feitos no computador. muito giros, por sinal. E um conselho muito util para que "tem a mania que nao sabe desenhar"! :)
bjo bjo bjo amiga! fica bem!

Ana Sofia disse...

Olá querida td bem?
Boa disposição foi o k pareceu haver no convivio =) eheheh o porta chaves está lindo e os filetes com óptimo aspecto =)
Beijokas grande e boa troca

artes_romao disse...

boa noite,td bem?
e as novidades sobre o convívio literário continuam muito boas.
que bom...haver entusiasmo e muita dedicação.
quanto ao porta-chaves e a comida tudo muito interessante,lol.
fica bem,jinhos***

Mona Lisa disse...

Olá Mena

Um convívio enriquecedor e entusiasmado!

Não jantei, pois já é tarde, mas deve ser uma delícia.

P.S. O meu pai não tem nada publicado,nem quer.

Bjs.

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Mena,

Fiquei comovida com seu comentário... o que dizer? Que você realmente tem uma alma linda.

Beijo imenso, menina querida.

Rebeca

-