segunda-feira, 27 de abril de 2009

Passeio por Montmartre

8 de Abril - de tarde

Visita à Basílica do Sacré coeur, Place du Tertre e passeio a pé por Montmartre

A aventura dos onofrinhos continua: informaram-nos que teríamos de andar muito e até de galgar uma escadaria que nunca mais acabava para visitarmos, no topo da única colina de Paris, a Basílica do Sagrado Coração. Alguns alunos começaram logo a recusar tal subida, estavam cansados, ficavam por ali: "Por favor, professora, não nos obrigue."

"Por favor! Eu é que digo por favor! Então os cotas, a brigada do reumático vai subir e os jovens não sobem? Nem pensem nisso, tudo à minha frente."

"Mas, são só estes degrauzitos, que grandes exagerados! Eu a pensar que era como aquela igreja em Braga, Bom Jesus de Braga, que tem degraus que nunca mais acabam. Isto sobe-se com uma perna às costas!"


Montmartre significa “Monte dos Martírios” e segundo a lenda foi ali que Saint-Denis, primeiro arcebispo de Paris, foi martirizado com os seus companheiros.

Trata-se de um bairro boémio parisiense. Fica no cimo de uma colina e já no tempo dos gauleses era um lugar de culto. Consagrada a São Dionísio, tornou-se, na Idade Média, um lugar de peregrinação e, em 1133, passou para a jurisdição dos Beneditinos que ali cultivavam as suas vinhas.

Graças à sua posição estratégica, Montmartre foi muitas vezes centro de comandos militares. Em 1860, o bairro uniu-se à cidade e transformou-se num ponto de encontro importante de artistas e intelectuais, famoso pela sua animada vida nocturna. Modelos, bailarinas e pintores como Degas, Cézanne, Monet, Renoir, Van Gogh, Picasso, Salvador Dali… frequentavam o lugar, contribuindo para criar um clima bem intelectual e artístico.

Hoje, as suas ruas ainda se animam com artistas e turistas que passeiam pelas ladeiras à procura de lugares famosos e bares bem abastecidos.

No ponto mais alto da colina situa-se a Basílica do Sacré Cœur.





Basílica do Sacré coeur

A basílica está localizada no topo da montanha de Montmartre, o ponto mais alto da cidade, a 129 metros acima do nível do mar.

A ideia de construir um templo dedicado ao Sagrado Coração surgiu depois da guerra Franco-Prussiana (1870), como pagamento de uma promessa feita por Alexandre Legentil e Hubert Rohault de Fleury de erguer uma igreja caso a França sobrevivesse às investidas do exército alemão. O arquitecto Paul Abadie projectou a basílica depois de vencer um concurso com mais de 77 arquitectos, mas morreu em 1884 logo após o início da obra. O estilo é marcado por influências romanas e bizantinas. Muitos elementos da basílica são baseados em temas nacionais: o pórtico, com três arcos, é adornado pelas estátuas de Santa Joana D’Arc e do Rei São Luís IX; e o sino de dezanove toneladas (um dos mais pesados do mundo) que se refere à anexação de Savoy em 1860.

A sua construção começou em 1875 e foi concluída em 1914, embora a consagração da basílica tenha ocorrido apenas após o final da Primeira Guerra Mundial.

A basílica possui um jardim para meditação, com uma fonte. O topo é aberto aos turistas e é como uma janela que se abre sobre Paris, os nossos olhos alongam-se na mais espectacular paisagem sobre a cidade luz.


Place du Tertre é uma praça que mais parece uma exposição de pintura e caricatura ao ar livre! Há mil pintores e caricaturistas com os seus cavaletes e restante material de pintura que nos abordam de lápis e prancheta em punho e que, antes de qualquer resposta afirmativa ou negativa, começam logo a riscar e a rabiscar o nosso nariz.

Alguns alunos, submissos ao traço dos artistas, viram-se a fazer de paisagem durante algum tempo, outros renderam-se aos grandes olhos, às orelhas descomunais, aos narizes de Pinóquio e às cristas emproadas e vieram felizes com as suas caricaturas, por vezes, com traços tão exagerados que mal conseguíamos descortinar qualquer semelhança com o modelo.

A praça está rodeada de restaurantes e cafés e o cheirinho a crepes e a outras iguarias perfumadas convida os visitantes ao lanche e nós não tivemos como fugir àquele apelo mudo. Sentámo-nos numa esplanada, mas os artistas teimavam em fixar-se ao nosso lado a tirar-nos as medidas de lápis em riste. Achámos melhor, então, procurar protecção dentro do pequeno estabelecimento e pedimos três crepes: eu preferi o meu com doce de maçã e canela, a M pediu um simples só com canela e açúcar e a C escolheu o dela com gelado. Não achámos nada de extraordinário, cheiravam melhor do que sabiam. No Central, são bem melhores, concluímos!



A Mena na cozinha

Tangerinas à espreita


2 saquetas de gelatina de tangerina
2 dl de natas
0,5 l de água + 3 dl
2 ou três tangerinas

Prepare uma saqueta de gelatina como mandam as instruções. Deite dentro de uma forma uma camada fina e leve ao congelador para solidificar rapidamente. Corte as tangerinas às rodelas e disponha-as por cima da camada fina de gelatina. Verta o resto da gelatina por cima das tangerinas e deixe solidificar mais um pouco.

Prepare a outra saqueta de gelatina com 3 dl de água, quando estiver a ferver, adicione as natas e misture bem. Despeje sobre a gelatina e leve ao frigorífico.

Sirva fresco.
Delicie-se!


Trabalhito:
Pregadeira

Miminho

Mais um selinho oferecido pela Rebeca e pelo Jota Cê e que eu ofereço aos meus fiéis visitantes. Obrigada, amigos!

11 comentários:

Maria Cusca disse...

E pronto....
Lá andei a passear outra vez e gostei.
continuo a adorar a tua descrição,
e há uma coisa que me tenho esquecido
de elogiar, que são as fotos, estão muito bem tiradas.
As de vista panorâmica, estão lindas.
E vamos aguardar o resto do passeio.
Realmente, também não gostei muito dos crepes.
As tuas tangerinas estão muito superiores.
Obrigada pelo selinho.
Jinhos grandes amiga e uma óptima semana

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Ai Mena,

Até que leio os seus posts, mas quando chego nas comidas... viajo pra sua mesa.

Aiai.. delícia!

Deu uma fome...rs


Beijo grande.

Rebeca

-

APO (Bem-Trapilho) disse...

ehh lá! grande viagem! entao tb andaram por Paris? por aí tb já andei e adorei! e quero voltar! :)
adorei as tangerinas... têm cá um ar!... hummm
e o trabalhinho um mimo, tal como o anelito ali em baixo! :)
tb gosto imenso da Susana Félix e o Jason já sabes que admiro imenso.
pois... a bandolete que ofereceste à M. anda muitas vezes na sua cabecita. ela adora-a! muito obrigada! e agora me apercebo de que me esqueci completamente de postar os mimos que me enviaste. será em breve, amiga! e desculpa!
mil bjos :)

artes_romao disse...

boa noite,td bem?
k bom, foi mesmo uma visita bem interessante e de muita cultura.
as criaçoes continuam lindissimas.
agradeço imenso o selo.
fika bem,jinhos***

ellen disse...

Mena,
é este Mimo/Selo que você referiu para eu levar?
já estou levando...se não for avise :)

Bjinho e obrigada

Sonia Facion disse...

Mena!!!

Assim não dá, queres me afrontar com esses crepes francese, huuuummmmmm.....pode mandar pelo correio, hehehe....

Prá variar já estou levando o mimo.

Bjks

Sonia

Yola Marujo disse...

Olá amiga

não é para me gabar, mas pelos meus amigos, não há crepe melhor que o meu!!!

jokas

Chocolate disse...

hehe
eu subi ao Sacre Coeur de funiculaire!! foi girissimo! beijinhos e boa semana!

Mary disse...

Bem, mas que sobremesa tão sui generis e requintada! Diz uma coisa, onde compras a gelatina de tangerina? Nunca a vi à venda...gostava de provar!
Vou levar este selinho janota, obrigada!
A partir da meia-noite inicia-se o Green Day!
PS - o teu blog é dos mais completos e variados que conheço...uma lufada de ar fresco! hehehe:)

Sabrith disse...

Estas aventuras dos onofrinhos estão me matando de inveja!
Sempre estou lendo mas só agora vim comentar.
Os vídeos são muito bons e a Mena na Cozinha me mata de vontade de ir à tua casa experimentar essas maravilhas!!!
Estou levando o selinhos e tem vários para vc no meu blog.
Bjokas!

APO (Bem-Trapilho) disse...

ai que cabeça a minha!!! afinal, os mimos que me enviaste já lá estavam, os que eu te enviei é que nao. mas estou a tratar disso agora mesmo! :)
bjinhos grandes :)