segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Barbies em exposição


A Barbie foi criada por Ruth Handler e o seu marido Elliot em 1959. Encomendada ao designer Jack Ryan, em 1958, a boneca foi lançada oficialmente na Feira Anual de Brinquedos de Nova York, a 9 de Março (dia do seu aniversário) de 1959. Ruth Handler deu o nome da sua filha Bárbara (diminutivo Barbie) a esta popular boneca. A ideia de criar uma boneca com feições de mulher, segundo a sua criadora, deve-se ao facto de as crianças quererem crescer rapidamente e tornarem-se adultas.

Quando foi lançada, a Barbie vestia um fato de banho às riscas brancas e pretas e custava 3 dólares. Hoje uma Barbie pode atingir os 10 mil dólares. Esta boneca tornou-se rapidamente um grande sucesso de vendas: a cada segundo, são vendidas duas bonecas em algum lugar da Terra. A boneca Barbie mais vendida até hoje tinha o cabelo até aos pés e foi lançada em 1992.

A Barbie teve vários animais de estimação (50), mas o primeiro foi um cavalo chamado Dancer. Teve mais de 108 profissões e já representou cerca de 50 nacionalidades.

Esta boneca sempre acompanhou as tendências da moda. Para criar um fato para a Barbie assim como todo o seu "look", são precisas 100 pessoas. A Barbie também foi a primeira boneca a ser maquilhada e a ter acessórios (óculos, malas, cintos, colares…).

O eterno namorado da Barbie, Ken, surgiu em 1961 e começou por ser loiro. Ken também sempre acompanhou a moda da época, e variava o corte do cabelo de acordo com o último grito.

Em meados dos anos 80, começaram a aparecer alguns modelos limitados da Barbie, verdadeiras relíquias para os coleccionadores. São Barbies de várias épocas, reproduzidas com ricos detalhes. São modelos que prestam, por exemplo, uma homenagem, como a Barbie patriota, de roupa militar da revolução americana do século XVIII. Fazem parte desse universo também as Barbies de fantasia, vestidas de fada, de pássaro ou de anjo, assim como as que representam mulheres de carreira: a bailarina (que teve várias versões, em 61, 76, 91, 73 e 98), a cantora, a pianista, a médica, a professora, a mulher-polícia...

Em 1980, surgiu a colecção étnica, com bonecas vestidas com roupas típicas de vários países, como México, Chile, Jamaica, Brasil, Inglaterra, Holanda, França, Itália, Japão e Nigéria.

A partir dos anos 90, foi criada uma colecção de alta-costura pelos designers da Mattel, inspirados em grandes costureiros, como Givenchy. Muitos estilistas famosos vestiram a Barbie em várias ocasiões, como Christian Dior, Chanel, Donna Karan, Giorgio Armani, John Galliano, entre muitos outros, e também marcas como a Gucci ou a Levis.

Seguindo as versões românticas e os clássicos do cinema, do teatro e da televisão, apareceu a Barbie e o Ken vestidos como Romeu e Julieta, O Mágico de Oz e Star Trek. Barbie encarnou também divas como Marilyn Monroe, Andrey Hepburn, Elizabeth Taylor e Vivien Leigh, vestindo-se à imagem destas personagens famosas.



Aqui fica uma colecção de fotos da boneca mais famosa do mundo que fará 51 anos no dia 9 de Março de 2010! Esta exposição está patente no Centro Comercial Vivaci da minha cidade.
















Processos de formação de palavras


A – DERIVAÇÃO


A derivação consiste na adição de afixos a um elemento designado por base (palavra já existente ou “palavra primitiva”).



1. AFIXAÇÃO


A afixação é um processo que consiste na formação de palavras por meio de afixos prefixos e/ou sufixos.

Os afixos são unidades mínimas de significação utilizadas para a formação de palavras derivadas,

fornecendo-lhes um novo significado.

Os prefixos são afixos que se colocam no início de uma palavra de base: reler, pré-história.

Os prefixos interferem menos nas propriedades da palavra complexa do que os sufixos, nomeadamente no que se refere:

à mudança de classe;

à atribuição do acento;

à alteração das propriedades morfológicas (género, número, tempo, modo, etc).

Exemplos:

mentir (v.) > desmentir (v.)

possível (adj.) > impossível (adj.)

faço (presente do indicativo, 1.ª pessoa) > refaço (presente do indicativo, 1.ª pessoa)

coloração (nome) > descoloração (nome)


Os sufixos são os afixos que se colocam no final de uma forma de base: civilizar, selvagem.

Podem alterar a classe de palavra

Podem implicar deslocação do acento ou podem ter um comportamento peculiar em relação ao acento:

-ico (deslocação do acento para sílaba antecedente)

- Exemplo: abanico

-mente e -zinho: coexistência de dois acentos (na base e no sufixo)

- Exemplos: docemente; amorzinho

Os sufixos são responsáveis pela atribuição da categoria morfológica, pelo género e pela categoria sintáctica das palavras.


- Base (nome) >Básico (adjectivo) >Basicamente (advérbio)


- ção (feminino)

- mento (masculino)

- al (masculino)

Se o sufixo for masculino, a palavra derivada será do género masculino.

Tal como os prefixos, os sufixos são responsáveis por uma alteração semântica da base, que habitualmente se faz sob a forma de uma paráfrase que opera sobre a base:

(eiro) “pessoa que faz/trabalha ” - ferreiro (pessoa que trabalha o ferro)

(or) “pessoa que…” - cantor (pessoa que canta)


1.1. Derivação por prefixação

A derivação por prefixação é um processo de formação de palavras no qual um prefixo ou mais são acrescentados à palavra base.


ex.: re/com/por (dois prefixos), desfazer, impaciente.



1.2. Derivação por sufixação

A derivação por sufixação é um processo de formação de palavras no qual um sufixo ou mais são acrescentados à palavra base.


ex.: realmente, folhagem.



1.3. Derivação por parassíntese

A derivação parassintética é um processo de formação de palavras que ocorre quando um prefixo e um sufixo são acrescentados à palavra base de forma dependente, ou seja, os dois afixos não se podem separar, devem ser usados ao mesmo tempo, pois sem um deles a palavra não tem significado.


ex.: anoitecer (prefixo a- e sufixo -ecer) – neste caso, não existem as palavras *anoite e *noitecer, pois os afixos não se podem separar.



2. DERIVAÇÃO REGRESSIVA

A derivação regressiva é um processo de formação de palavras pelo qual se formaram nomes a partir de verbos, em que a palavra derivada resultou de uma redução da palavra base, desaparecendo o sufixo verbal e surgindo no seu lugar as vogais -o, -a, -e.


ex.: encostar/ encosto, alertar/ alerta, alcançar/ alcance.



3. DERIVAÇÃO IMPRÓPRIA


A derivação imprópria consiste na mudança de classe ou de subclasse de certas palavras e, simultaneamente, uma mudança de significado, sem alteração da forma.

ex.: coelho nome comum usado como nome próprio em Paulo Coelho;

verde – geralmente adjectivo (Comprei uma camisa verde), usado como nome (O verde do parque agradou a todos.)




Trabalhinho:

marcadores


A Mena na cozinha


Encharcada

7 gemas de ovo
2 ovos
300g de açúcar
1,5 dl de água
canela

Deite o açúcar e a água num tachinho, leve ao lume e deixe ferver até obter ponto de pérola (quando, ao deixar escorrer devagar a calda da colher, esta formar um fio com uma pequena pérola na ponta). Numa tigela, misture os ovos inteiros com as gemas e bata bem. Com cuidado e mexendo sempre, adicione-lhe a água com o açúcar. Forre uma forma de tarte com papel vegetal de cozinha. Deite o preparado na forma e leve ao forno. Verifique com um palito se está cozido. Desenforme, deixe arrefecer e leve ao frigorífico. Enfeite com canela e sirva.
É uma delícia!





6 comentários:

Mona Lisa disse...

Olá Mena

Gostei imenso da exposição de Barbies.

Enquanto a visitava levei um pratinho com encharcada e fui-me deliciando.

Bjs.

Lisa

artes_romao disse...

boa noite,td bem?
gostei de ver esta exposição...
embora não seja a minha boneca preferida...quer dizer nunca gostei muito de bonecas nem brincar com elas...era mais com brinquedos de rapazes,heheh...
e já bem crecida é que fizeram questão de me oferecer umas poucas bem giras por sinal;)
devia ter pelo menos duas e vieram mais...
gostei das restantes novidades.
fica bem,jinhos***

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Melhor que essa coleção da Barbie é esse seu encharcado... aff, delicioso, Mena linda.

Beijo imenso.

Rebeca


-

Dulce disse...

Olá Mena,
A exposição é um espanto, em Sintra no Museu do Brinquedo também existem. A minha filha adorava em miúda, tenho uma caixa cheia, mas nenhuma comprada por mim, porque é demasiado fútil para o meu gosto. Gosto mais de bonecos chorões,ihihih..., mas os tempos hoje são outros, claro.O teu doce é que me encheu os olhos , mham, mham.
Beijinhos
Dulce

Fernanda disse...

Olá Mena,
para veres a doideira que existe aqui por estes lados a minha filha mais nova quando quer convencer o pai diz "Papá compra-me uma Barbie, poque eu só tenho 28". Hihihi, pensa que não temos mais nada para comprar senão Barbies.
Faltou-te dizer que a filha da criadora não gostava de bonecas gordas e sem forma.
Bjos.

ஜ♥_Sabrith_♥ஜ disse...

Adorei as Barbies
Todo ano tem exposição delas na minha cidade e eu não perco...


___00000___00000_____
__0000000_0000000___
__000000000000000____
___0000000000000____
____00000000000___
______0000000____
________000_____
_________0_____
_________ 00____
___________ 000_
______________ 00___
_____________ 0___
___________ 0
____________ 0*´¨)
______________¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
_____________(¸.•´ (¸.•` *BJUS NO CORAÇÃO!!!