terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

As cores do Amor



De um poema se faz a noite
Ao perto vejo o silêncio
Que nos teus lábios me lembrou
Queria ser ontem
E pintar memórias de tempo
De beijos teus
Debruados de amor
Em versos meus

José Guerra


Ontem, o Amor acordou-me com rosas vermelhas, hoje depositou na minha almofada flores de esperança...



A noite passou calma e silenciosa, o dia começou com o perfume colorido e inebriante das flores que teimas em deixar sobre o meu leito... Sorrio para as flores, são rosas, apenas três rosas vermelhas... Inspiro o seu aroma, por momentos, com os olhos ainda fechados, e sinto a tua mão no meu rosto, num afago carinhoso... sinto os teus lábios trémulos tocarem de leve os meus... E as flores, únicas testemunhas daquele momento de ternura, continuam a exalar o seu perfume e a rodear-nos no seu abraço apertado...
Mas, o rasto aromático fica para trás... O cheirinho bom do pequeno-almoço chama-me e mistura-se com o aroma floral que me segue desde o quarto e que me envolve com os seus longos braços... A magia desvanece-se...
Entro no carro, ligo o rádio e vou ao encontro do mundo, do meu outro mundo... Se a música convida, canto... se não, perco-me em pensamentos que persistem, em lembranças que moram em mim e... por vezes... sorrio... Sorrio e pinto o meu dia com as cores do Amor...


Mena


4 comentários:

Mona Lisa disse...

São as cores da felicidade...

Bjs.

Pérola disse...

De que mais precisamos quando o Amor nos invade'

Mena disse...

São mesmo, Elisa!

Mena disse...

Nada mais, Pérola!