terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

I ♥ you!


Não sei escrever poemas de amor
Não sei sequer versejar
Cartas de amor?
Essas!... São ridículas!
Bilhetinhos espalhados pela casa, com mensagens de amor...
Hum, será que os encontrarias?
Assim, aqui fica no café da manhã a mensagem que escolhi para este dia...
A mensagem que cabe na chávena, mas que transborda do meu coração...
Sei que vais sorrir...
Adivinho mesmo o teu sorriso!
Sei que gostarias de guardar a chávena, assim, intacta, virgem...
Não estarei ao pé de ti para ver o teu sorriso maroto e cúmplice, mas sei-o de cor...
Sei que vais olhar pela janela da cozinha...
Sei que vais estender o teu olhar...
Como se pudesses alcançar-me do outro lado da cidade...

Espera por mim!
Eu sei que me esperas...
Vejo-te já sentado, no banco da varanda, à minha espera...
Com os olhos pousados na estrada...
E consigo adivinhar o tamanho do teu sorriso...
E consigo ver o teu olhar meigo e doce a poisar nos meus olhos...
E consigo sentir o teu abraço...
E consigo sentir... Consigo...
E logo, logo, sentirei tudo isso e muito mais...



Amo-te!


4 comentários:

mfc disse...

Olha...olha... uma Poetisa apaixonada!
E ainda por cima bem gira...
Muitos e muitos beijinhos.

Nilson Barcelli disse...

Cá está... ainda namoras...
Adorei as tuas palavras. O maridão deve ter ficado derretido...
Beijo, querida amiga.

Mena disse...

Obrigada, mfc, sempre gentil!


Bj grande

Mena disse...

Nilson, tenho pena de não saber versejar como tu! Obrigada pelo teu carinho, querido poeta!
E sim, o maridão ficou derretido...


Bj e um dia feliz para ti