quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Tradições e recordações



O almoço foi bem animado! A ti Maria assou as sardinhas, a ti Alice cortou a broa de milho em fatias, a minha filhota temperou a salada, eu dispus as uvas na cestinha, o meu marido encheu o jarro de vinho… Sentados à mesa, cada um tirou a pele às suas batatas. E durante a refeição não faltaram as costumadas histórias do ti Joaquim e as anedotas do ti Manuel a apimentar a saborosa sardinhada.

O Ti João perguntou à minha filha se estava a gostar das férias, se tinha tirado muitas fotografias…

- Hoje, tirei muitas fotos! Até tirei aos animais: aos porcos, às galinhas, aos patos… Ah, é verdade, porque é que está uma porca sozinha, separada dos outros porcos?

- Essa porca está a fazer dieta, porque é para matar para a casa – informou a ti Maria, rindo com vontade.

- Sabes, no tempo mais frio, Novembro ou Dezembro, junta-se toda a família e amigos para a matança do porco, que neste caso é uma porca. Ficam desde já convidados para a festança – disse o ti Joaquim, prosseguindo:

- O porco mata-se, chamusca-se, raspa-se e lava-se muito bem. Depois pendura-se e tiram-se as entranhas, deixando-se a escorrer de um dia para o outro. No outro dia, desmancha-se o porco, cortam-se as carnes, guardam-se. Come-se… Bebe-se… Canta-se… e não faltam histórias, anedotas, provérbios que provocam gargalhadas intermináveis… À noite, os mais idosos sentam-se à lareira, enquanto as outras pessoas preparam as carnes para os chouriços, fazem-se também as morcelas, as farinheiras…

- Deve ser uma grande festa! – exclamou a minha filha.

- Mas não termina assim! No dia seguinte, prepara-se uma “assadura” para mandar aos amigos e familiares que não puderam estar presentes na matança; e, alguns dias mais tarde, enchem-se os chouriços e põem-se à lareira a “curar” – disse a ti Almerinda.

O ti Joaquim, de repente, lembrou-se que ainda havia alguns chouriços pendurados na lareira e pediu à ti Alice que fosse buscar um para provarmos.

- Ó ti Joaquim, porque é que a vossa lareira está na cozinha e não na sala? – perguntou a minha filha.

- A lareira era onde se preparavam os alimentos antigamente. Era construída num canto da cozinha. Havia dois tijolos, dispostos paralelamente e por cima colocava-se uma trempe – explicou o ti Joaquim.

- A palavra lareira vem de lar, o lugar onde se fazia o fogo – expliquei.

- E era entre os tijolos que se fazia o lume e na trempe assentava a panela ou o tacho – continuou o ti Joaquim.

- Os meus avós também curavam os enchidos na lareira. Em casa da minha avó, havia uma lareira grande onde se punha a lenha a arder. Por cima, passavam uns arames dispostos horizontalmente onde se penduravam os enchidos, ainda frescos, para serem curados pelo fumo que ia saindo pela chaminé. Na lareira, de cada lado, havia um banco para duas pessoas se sentarem, ali, a aquecer. E aos serões, num ambiente familiar, ensinavam-se os mais pequenos, contavam-se histórias de encantar com fadas, princesas, príncipes… – expliquei saudosa.

- Ó mãe, mas também se diz fogos para indicar o número de famílias numa povoação, não é? – questionou a minha filha.

- Ah, eu posso explicar – informou o ti Joaquim, acrescentando:

- Em cada família romana, mantinha-se acesa, em honra dos deuses Lares, uma “chama”, um fogo.

- Pois, focum em latim. Fogo e lar encerram uma ideia comum: a Família que habita numa casa – rematei.




Trabalhinho:



A Mena na cozinha

Frango com natas e cogumelos

1 frango do campo
1 pacote de natas (200 ml)
1 sopa de cebola instantânea
1 lata de cogumelos laminados
pimenta

Corte o frango, depois de lhe tirar a pele, em pedaços pequenos. Misture os cogumelos e a sopa instantânea e envolva tudo. Tempere com uma pitada de pimenta.

Deite um pouco de natas no fundo do pirex, barrando-o.
Disponha a carne do frango por cima das natas.

Verta o resto das natas por cima da carne e leve ao forno a 180º graus.

Quando estiver lourinho por cima, espete a carne para verificar se está cozinhada.

Sirva com batatas fritas ou puré de batata e salada.
Bom apetite!



MENINAS, para assinalar as 300 000 visitas vou oferecer um miminho a quem provar que foi a 300 000.ª visita. Obrigada pela vossa preferência e carinho. Bj grande a todos/todas que me visitam!



2 comentários:

artes_romao disse...

boa noite,td bem?
adorei as novidades que por aqui tens.
as comidas estão deliciosas;)
fico muito contente do simpático nr de visitantes.
fica bem,jinhos***

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Mena,

Estamos seguindo seu blog também, viu? E essas comidas, pelo amor de Deus...aff, deliciosas!

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-