quarta-feira, 27 de julho de 2011

O poder da soja


Entre os orientais a incidência de doenças cardiovasculares e outras como o cancro de origem hormonal, fracturas ósseas e sintomas da menopausa é oito vezes menor se comparada aos ocidentais.
Tudo tem a ver com os hábitos alimentares. Os asiáticos consomem cerca de 50 vezes mais soja (100 mg de fitoestrógenos/isoflavonas por dia) do que nós (apenas 1 mg).
A isoflavona é uma substância com efeitos semelhantes ao do estrógeno humano e tem sido estudada como alternativa natural na prevenção do cancro. Com efeito antioxidante, ajuda a diminuir a proliferação de células cancerígenas.
A ingestão de 25 gramas de soja por dia pode reduzir em 13% os níveis de colesterol ruim, 9,3% do colesterol total e 10,5% de triglicerídeos. A redução das taxas de colesterol ruim no sangue, afasta também as doenças do coração.
A soja pertence à mesma família de leguminosas como o feijão, as lentilhas, o grão-de-bico e as ervilhas e é rica em proteínas, óleo nutricional, fibras, tem um baixo teor de açúcar e possui ainda algumas vitaminas e sais minerais.
A soja não é indicada para pessoas que sofrem de hipotiroidismo e as crianças, idosos e grávidas com dificuldades na absorção de nutrientes também não devem exagerar no consumo desta leguminosa, pois os compostos antinutricionais da soja diminuem a acção de certos minerais (cálcio, zinco e ferro) no organismo.
Para reduzir os riscos de doenças cardiovasculares, recomenda-se o consumo de 60 g de grãos. 100 g desta leguminosa fornecem metade da quantidade diária de proteínas recomendadas para um adulto. O grão pode substituir a carne em algumas refeições.

A soja dá saúde. Vejamos, então!
  • Cancro - as isoflavonas da leguminosa diminuem os riscos de cancro da mama e próstata (ligados à questão hormonal). A soja actua também contra o cancro do útero.
  • Coração - nos pacientes com altos níveis de colesterol, a leguminosa reduz a taxa total em até 20%. Em conjunto com as isoflavonas, as proteínas de soja reduzem os níveis de concentração plasmática do colesterol ruim e sobem os do colesterol bom, além de aumentarem a elasticidade das artérias coronárias. Os altos níveis de fibras solúveis da soja absorvem gorduras e açúcares no trato intestinal, diminuindo a absorção dessas substâncias pelo sangue. Estas, unidas aos carboidratos, podem actuar junto ao fígado, bloqueando a formação de colesterol. Estas fibras diminuem ainda a absorção de ácidos biliares no intestino, enquanto no estômago formam um gel que aumenta o volume gástrico e gera a sensação de saciedade, facilitando o controlo dos níveis de colesterol, quanto ao peso.
  • Diabetes - os consumidores de soja apresentam baixos teores de açúcar (glicose) na urina, um sinal de controlo da doença. As fibras da soja desempenham um papel importante na regulação dos níveis de glicose no sangue, assim como auxiliam na redução das taxas de colesterol sanguíneo. As fibras solúveis na aveia, legumes, fruta e leguminosas (como a soja) formam um gel esponjoso no intestino, que promovem a libertação lenta dos nutrientes para a corrente sanguínea.
  • Menopausa - Uns dizem que a soja é eficaz na redução de sintomas desconfortáveis, como calores repentinos, sensação de fraqueza, desânimo, perda de memória, tonturas, insónias..., outros dizem que os benefícios são insignificantes.
  • Ossos - a acção do fitoestrógeno da soja impediria a saída de cálcio para o sangue, estimulando a deposição do mineral nos ossos. A soja é rica em cálcio. A soja é uma boa opção para as pessoas que têm intolerância à lactose (proteína do leite). Mas é preciso manter a alimentação equilibrada, consumindo soja pelo menos duas vezes por semana. A soja é também rica em boro, um mineral amigo dos ossos e auxiliar na manutenção do cálcio, do magnésio e do fósforo no corpo. A ingestão de alimentos à base de soja, entre os quais, tofu, missô, natto e tempe auxiliam na obtenção de massa óssea e, portanto na prevenção e no tratamento da osteoporose.

Derivados da soja
  • Óleo de soja - um dos óleos mais consumidos no mundo.
  • Farinha de soja - utilizada em pão, biscoitos... Pode ser ainda utilizada para enriquecer macarrão, produtos alimentares infantis, misturas para sopas.
  • Proteína texturizada de soja - pode obter-se por "extrusão" e por "Fiação". No primeiro caso, apresenta teores mais baixos de proteínas, sendo utilizada em hambúrgueres, bolinhos... No segundo tipo, conta com um elevado teor de proteína e é utilizada no fabrico de produtos semelhantes à carne (bifes), presunto...
  • Leite de soja (estrato proteico de soja) - semelhante ao leite de vaca. Pode encontrar-se em pó ou na forma líquida. Em geral, são aromatizados.
  • Queijo de soja (tofu) - elaborado a partir do leite de soja.
  • Missô (pasta de soja) e shyu (molho de soja) - usados como temperos.
  • Soja torrada - tem a aparência de um amendoim torrado e pode ser consumido como tal.
  • Farelo de soja ( resíduos provenientes da extracção do óleo) - utilizado como alimento para os animais.

Quer saber mais:
- Soja: Nutrição e Saúde de Conceição Trucom
- Soja: Sua Saúde na Mesa de Hercules Menezes

2 comentários:

Mona Lisa disse...

Olá

Não consumo soja.Provei. O leite não consigo beber.Os iogurtes são razoáveis.
Sabes?!
Não ligo muito a isso. Fico-me pelo tradicional.

Bjs.

Mena disse...

Gosto de variar e de experimentar tudo desde que haja benefícios para a saúde.